Financiamento Imobiliario com Ipca
Étic Imóveis

Novo Financiamento Imobiliário – Taxa de Juros + IPCA

Na tarde de ontem a Caixa Econômica Federal lançou uma proposta com o novo financiamento imobiliário + IPCA.

Uma forma de financiar seu imóvel, utilizando um improvável indexador, que pode resultar em um novo movimento a ser seguido pelos outros bancos privados e públicos também.

Desde já é bom deixar claro que em um primeiro momento, os financiamentos tradicionais, que estamos acostumados a ver, continuarão presentes no mercado.

Esta nova proposta será uma opção para aqueles que se sentirem confortáveis com o indexador do IPCA em seu financiamento, que falaremos melhor à frente.

No financiamento imobiliário convencional o banco utiliza uma taxa de juros fixa maior e o indexador utilizado era a taxa TR (Taxa Referencial), para se fazer a atualização dos valores.

A Taxa referencial foi criada no governo de Fernando Collor para servir como referência e controlar a inflação.

Mas calma..

Vamos entender as diferenças mais a fundo.

Modo de Financiamento Tradicional

Como teremos as duas opções vigentes (Antiga e a Nova), vale dizer que a proposta mais atrativa deverá ser avaliada para cada tipo de pessoa.

A proposta de financiamento nova da Caixa é cobrar uma taxa de juros fixa (bem menor que a convencional), porém indexar ao índice da inflação (IPCA).

Ok, mas como isto funciona hoje?

Vamos lá…

No financiamento de imóvel tradicional o banco calcula a taxa de juros anual , prazo e valor financiado.

Isto não mudará.

Temos 3 variáveis principais no financiamento:

1. Valor Financiado

2. Prazo de financiamneto

3. Taxa de Juros

Sabemos que os bancos financiam atualmente até 80% do valor do imóvel.

Ou seja, é obrigatório que você disponha no mínimo 20% deste valor para que o banco possa fazer o financiamento para você.

Exemplo:

Valor do imóvel: R$ 200 mil reais

Valor de Entrada: R$ 40 mil reais (20%)

Valor do Financiamento: 160 mil reais (80%)

Prazo: 120 meses ou 10 anos

Taxa de juros total (CET) 8.5% ao ano + TR

Neste exemplo o cliente vai comprar um imóvel de 200 mil, da uma entrada de 20% e financia o restante com a taxa oferecida pelo banco de 8,5% ao ano de juros + TR.

A TR é a taxa referencial que falamos no início e ultimamente não tem influenciado nos valores dos financiamentos, pois ela se manteve zerada nos últimos anos.

Então, considerando que o valor de juros total seja 8,5%, este é o juros que incidirá sobre o prazo e o valor financiado para resultar no valor das parcelas.

Simulando nas condições apresentadas acima, considerando o sistema SAC, as primeiras parcelas iriam apresentar estes valores:

novo financiamento imobiliário

Neste caso, as primeiras parcelas seriam em torno de 2.424,77 e este valor irá diminuir conforme o pagamento de cada parcela.

Lembrando que em qualquer financiamento, quanto menor o prazo menor o juros.
O valor de juros inserido foi de 8,5% ao ano e a taxa referencial é igual a 0 e não modifica o valor.

Caso você não se familiarize com essa tabela, deixarei o guia com tudo que você precisa saber sobre o Financiamento de imóveis seja ele Tabela Sac, Price ou Sacre.

Novo Financiamento com IPCA

Neste novo modelo apresentado pela Caixa, são oferecida duas taxas diferentes: Uma para os clientes do setor público e outra para os clientes do setor privado.

*Segundo fontes os valores das taxas mudarão conforme 2 percentual do valor financiado e relacionamento com a caixa. Vale ressaltar que ná prática quem financiar menos tem maiores chances de conseguir taxas reduzidas.

Neste caso as taxas apresentadas ficam à partir de:

– 2,95% de taxa juros ao ano para o setor público + IPCA
– 3,25 de taxa de juros ao ano para o setor privado + IPCA

Veja o acumulado de IPCA em 2019.

Ipca financiamento

Mas o que isto significa na prática?

Vamos supor que você conseguiu uma taxa no banco de 3,5% de juros ao ano + IPCA e manteve o mesmo financiamento e prazo do primeiro exemplo.
Valor do imóvel: R$ 200 mil
Valor de Entrada: R$ 40 mil

Valor Financiado: 160 mil

Prazo: 120 meses ou anos
Taxa de Juros: 3,5% + IPCA

Considerando o montante do mês de julho (3,22% ao ano), teríamos os seguintes valores nas parcelas.

Taxa de juros considerada: 3,5% + 3,22 = 6,72

Ipca financiamento

Em comparação com o exemplo que fizemos acima de 8,5%, temos uma redução na parcela inicial de R$ 39,91.

Neste caso foi benéfico a escolha.

Agora vamos imaginar que no mesmo molde tenhamos uma taxa de inflação de 6% ao ano.

Então teríamos 3,5% + 6% = 9% a.a

Nas mesmas condições que fizemos os exemplos anteriores, teríamos uma parcela inicial no valor de R$ 2.486,50. Ou seja, R$ 60,73 reais mais caro desde a primeira parcela no financiamento.

Simule também seus financiamentos com a ferramenta do Faz a Conta.

O que devo considerar?

É importante entender que o Brasil está em uma situação controlada de inflação nos dias de hoje e que pode sim ser uma boa opção, principalmente se você considera fazer a quitação do seu financiamento em um curto prazo.

Porém o mercado é volátil e, se nesse período Brasil passar por dificuldades e a inflação aumentar muito, irá influenciar diretamente no valor da sua dívida.

Pense com calma e não tome atitudes precipitadas.

Afinal, temos ainda o modelo antigo para aqueles que preferem ver como o mercado vai reagir e resultados nas práticas destas novas regras do financiamento imobiliário com o IPCA.

Afinal, é uma boa ou má notícia?

Analisando todos os pontos acima descritos, temos a avaliação que esse novo financiamento é muito positivo pelo mercado, por alguns aspectos:

1 – Empregados da iniciativa privada tem seus salários que também sofre reajuste pela inflação, ou seja, caso o mercado se aqueça e a inflação suba bastante, o salário também subirá.

2 – Existe a possibilidade de investir em fundos indexados pelo IPCA, ou seja, se subir a inflação os seus rendimentos estarão atrelados a ela.

3 – A taxa média de juros hoje é de 8,5%, ou seja, considerando a inflação atual e que você consiga uma taxa privilegiada de 3,5% com mais 3,22% (inflação dos últimos 12  meses) estariamos falando de uma redução de 1,78%. Esta diferença pode ser investida para que você se programe e consiga efetuar o pagamento do seu imóvel mais rápido, abatendo parcelas pelo prazo.

4 – Os bancos privados devem seguir a mesma onda e lançar esta modalidade também, ou seja, teremos concorrência de mercado nas taxas e isto é excelente para o consumidor final.

Me conte você, o que acha desta nova modalidade?

Étic Imóveis

Este artigo foi produzido pela Étic Imóveis. Gostou? Compartilhe suas sugestões e dicas, nossos consultores vão adorar conversar com você. Deixe seu comentário abaixo!

Apartamento na Mooca – Saiba tudo sobre os apartamentos na Mooca
17 set
Quero Comprar

Apartamento na Mooca – Saiba tudo sobre os apartamentos na Mooca

Ter um apartamento na Mooca pode ser um sonho de muitos paulistas, não é mesmo. A zona leste de São […]

leia mais
Tipos de casamento
28 maio
Quero Comprar

Tipos de casamento

Regime de Casamento no Civil O casamento, além de ser uma decisão para a vida toda, pode também ter diversas […]

leia mais